SEMINÁRIO DEBATE POLUIÇÃO DA BAÍA DE GUANABARA POR RESÍDUOS SÓLIDOS

Em Noticias por Observatório NiteróiDeixe um Comentário

Observação Niterói participa de mais uma discussão sobre o ambiente de pesca em Niterói

No mês de novembro, o Observação Niterói participou do evento é organizado pelo Instituto Baía de Guanabara e pela Casa Fluminense que teve por objetivo reunir especialistas para discutir os resíduos sólidos presentes hoje a bacia hidrográfica da Baía de Guanabara e apontar possíveis soluções. O encontro também debateu as condições dos resíduos sólidos na bacia hidrográfica da baía e apontar algumas possíveis soluções, principalmente responsabilizar as grandes empresas se responsabilizarem pelos resíduos sólidos que poluem e afetam
diretamente a qualidade da Bacia Hidrográfica da Baía Guanabara.

Pescador da Ilha da Conceição retira pneu da Baía, em vez de peixe

Sociedade civil articula novas estratégias para despoluir a Baía

O Seminário “Os Impactos dos Resíduos Sólidos na Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara” foi realizado pelo Instituto Baía de Guanabara e pela Casa Fluminense, no Auditório do Grupo Executivo do Caminho Niemeyer, em Niterói. O Instituto Baía de Guanabara, tem como objetivos o estudo, a pesquisa e a solução dos problemas ambientais, sociais e urbanos, com prioridade na Região Hidrográfica drenando para a Baía de Guanabara, que abrange, total ou parcialmente, 16 municípios, todos no Estado do Rio de Janeiro. A outra organizadora do evento, a Casa Fluminense, “formada em 2013 por ativistas, pesquisadores e cidadãos identificados com a visão de um Rio mais integrado acredita que a realização deste horizonte passa pela afirmação de uma agenda pública aberta à participação de todos os fluminenses e destinada universalmente a todo o seu território e população e não apenas – ou prioritariamente – para as áreas centrais da capital”. – Centro, Niterói.

O seminário abordou a questão dos resíduos sólidos na  Baía de Guanabara com apresentações de projetos e estudos sobre a temática, porém não contemplou diretamente os pescadores artesanais, que sofrem diretamente com esse impacto no seu dia a dia. Além de diminuir a biodiversidade esses resíduos pesam suas redes que acabam rasgando e também estragam  suas embarcações.