OBSERVATÓRIO ARTICULA NOVAS AÇÕES EM 2017

Em informe, Noticias por Observatório São Francisco do ItabapoanaDeixe um Comentário

Pescadores artesanais também participam das discussões que envolvem o trabalho do Observatório

No ano de 2016, o Observatório junto com os pescadores artesanais de Barra do Itabapoana, Guaxindiba, Gargaú e Lagoa feia,  localidades impactadas direta ou indiretamente pela cadeia produtiva de petróleo realizaram as atividades de:

  • monitoramento da boca da barra,
  • mobilização para o abaixo-assinado com o pedido de audiência pública na câmara de vereadores
  • e a produção do curta documental.

Os trabalhos que vêm sendo realizados são pesquisados e monitorados, junto a esses grupos para que possamos desenvolver melhor essas atividades.

Reunião com os pescadores em uma das atividades

No início deste ano foi realizado o monitoramento da boca da barra, a pedido dos pescadores que tiveram suas atividades  afetadas pelo assoreamento, que vem sendo um grande problema para o desenvolvimento da pesca local. Em reunião com os pescadores e o PESCARTE , surgiu a demanda de uma audiência pública na câmara municipal, que exigiu o recolhimento de abaixo-assinado  a ser  protocolado na casa legislativa.

O assoreamento e a perda de território são os conflitos mais citados

A finalidade do curta foi mostrar para a comunidade os conflitos vivenciados pelos pescadores artesanais. Dentre os conflitos relatados no curta, o assoreamento e a perda de território foram os mais destacados pelos entrevistados. Os pescadores participaram de todo o processo da produção do curta, do roteiro à edição.

A devolutiva teve participação das comunidades de pescadores artesanais de Barra do Itabapoana, Gargaú e outras comunidades pesqueiras de São Francisco de Itabapoana onde ocorrem debates sobre os conflitos ambientais que fazem parte deste projeto.

Para o ano de 2017 o Observatório São Francisco de Itabapoana tem como objetivo prosseguir com o monitoramento do assoreamento dos canais dos rios locais  e serão exibidos os curtas documentais do PEA OBSERVAÇÃO  nas escolas públicas do município com a finalidade de mobilizar a comunidade sobre os conflitos vivenciados pelos pescadores artesanais.